Keep us connected
Advertisement

Luso Ads

Ver Artigo em Português

“Isto é profundamente pessoal para mim, o meu pai é filho de um imigrante Português do Porto”, disse Lori Loureiro Trahan, candidata democrata pelo 3º Distrito Congressional de Massachusetts à procura de ser eleita para o Congresso dos EUA em 2018.

Lori Loureiro Trahan já percorreu um longo caminho. Com raízes profundas no Vale Merrimack e nascida e criada em Lowell, Massachusetts, se for eleita, será a primeira mulher de ascendência Portuguesa no Congresso a representar o estado de Massachusetts.

A revista digital Feel Portugal teve a oportunidade de se encontrar com a Lori em Lowell e questionar porque é que está a concorrer ao Congresso e o que espera mudar em Washington.

Advertisement

Luso Ads

O nosso encontro estava originalmente programado para acontecer na Nana’s Kitchen, na Central Street, em Lowell, um pequeno restaurante mesmo em frente do clube Portuguese Civic League (Reds Club). Lori tem boas memórias de ir lá com o pai quando era criança. Infelizmente, o lugar estava fechado no dia em que lá fomos e acabamos por nos encontrar no Coffee & Cotton dentro do Mill No 5, uma das emblemáticas e antigas fábricas de tecidos de Lowell construídas em 1873, no coração da cidade.

A jornada da Lori começou com seus ancestrais que vieram para Lowell de Portugal e do Brasil. O pai da Lori, Tony Loureiro, foi delegado sindical do sindicato dos trabalhadores metalurgicos – Local 7, e é filho de Fernando de Freitas Loureiro (do Porto) e Adalice Leite Loureiro (da Bahia). Fernando trabalhou como carpinteiro profissional e foi presidente do clube Portuguese Civic League (Reds Club) e do Clube Portuguese American Center (Blues Club). A sua esposa Adalice nasceu no Brasil, mas após a morte da sua mãe foi para a Graciosa onde foi criada pela sua tia. Ela trabalhou nos moinhos de Lowell como muitos dos imigrantes que vieram para Lowell nessa época.

A mãe de Lori, Linda, criou Lori e as suas três irmãs ao mesmo tempo que trabalhava em part-time em vários empregos. John de Sousa, bisavô materno de Trahan, nasceu nas ilhas dos Açores. Ele esteve muito envolvido na comunidade portuguesa de Lowell sendo um dos membros fundadores da Paróquia de St. Anthony em 1901.

Advertisement

Luso Ads

Lori frequentou as escolas públicas de Lowell e começou a trabalhar logo que teve possibilidade. Aos 11 anos, o seu primeiro emprego foi entregar o Lowell Sun no bairro, e foi distinguida no Hall of Fame de desporto do Liceu de Lowell, onde ganhou uma bolsa de estudos para jogar voleibal na Universidade de Georgetown. Mais tarde, trabalhou no Congresso como chefe de gabinete do ex-representante Marty Meehan.

Por causa de suas raízes, Lori acredita firmemente nas políticas de imigração e começamos a nossa conversa perguntando sobre a atual situação da imigração nos EUA. “Começa com uma conversa aberta em torno da reforma abrangente da imigração”, respondeu ela. “Precisamos de preservar as liberdades que sempre defendemos”, e referiu-se à história de nosso país, que foi sempre um “porto seguro para refugiados em busca de uma vida melhor”, apontou que não apoia a atual promessa de campanha divisiva de um muro, e prosseguiu dizendo: “Eles vieram por uma vida melhor e por oportunidades que não tiveram no seu país, e têm o direito de trabalhar em Lowell ou noutras cidades e se tornaram membros ativos da comunidade ”.

Advertisement

Luso Ads

Trahan também defende a proteção das necessidades dos nossos “dreamer’s” com todo o apoio bipartidário. “Acho que entramos num discurso divisivo com esta última eleição e precisamos de novas lideranças para que possamos restabelecer os nossos valores norte-americanos e, para isso, obtermos abertamente do que precisamos para a proteção dos nossos “dreamer’s””. disse Lori.

Somos quem somos como país por causa da influência dos imigrantes… Não consigo entender por que é que este governo decidiu difamar e atacar as populações imigrantes de hoje”, disse Lori, e continuou dizendo que “está na hora do Congresso agir sobre a reforma abrangente da imigração”, e disse que não podemos confundir segurança nas fronteiras com a reforma da imigração porque são duas coisas diferentes.

Quando perguntamos sobre qual a sua posição em relação ao DACA, Lori respondeu: “Eu acredito num caminho para a cidadania para todas as pessoas que estão aqui a viver no nosso país,” e continuou dizendo que “a retórica divisiva da última eleição atraiu muitas manchetes e não é exatamente onde está o coração deste país.Ela apontou que “ninguém neste país tem uma reivindicação mais forte para este país do que qualquer outra pessoa.”

Como imigrante portuguesa de terceira geração, ela vê muitas pessoas de diferentes origens culturais no seu distrito, pois existem diferentes comunidades no seu distrito, como Lowell, Lawrence, Haverhill ou Hudson, “há muitas pessoas que trabalham duro, que contribuem para a nossa economia, e que pagam os seus impostos e precisamos de fazer o que é certo para eles”, disse Lori.

Lori vê a educação desempenhar um papel importante na nossa sociedade e acredita que temos que melhorar o trabalho a fazer nas nossas escolas públicas, e enfatizou a importância de “termos mais professores a trabalhar para assimilar e incluir as nossas diversas populações nas escolas”, e continuou dizendo “frequentemente dizemos neste país que a diversidade é a nossa força. Bem, a diversidade é apenas a nossa força se encontrarmos uma maneira de incluir a nossa diversidade ”.

“As pessoas precisam de ter as mesmas oportunidades que todos os outros e é assim que realmente conseguimos dar um impulso nesta economia”, disse ela. Ela continuou dizendo: “Quando encontramos uma maneira de ter uma cultura de inclusão para todas as pessoas que estão aqui, elas nos ajudarão a estimular e impulsionar a nossa economia”.

Ela também defende a necessidade de tornar a educação universitária mais acessível. “É escandaloso estarmos  agora a mandar as nossas crianças para a faculdade e elas ficarem atoladas e sobrecarregadas com enormes dívidas. Dívidas que não deveriam surgir porque não fizemos um trabalho suficientemente bom para estimular a nossa economia na criação de emprego e aumento de salários para um nível que pudessemos absorver esse tipo de empréstimos ”, disse Lori.

Lori acredita que a lacuna de desigualdade de rendimentos vai terminar e ela pretende ir lutar pela educação para evitar que as famílias continuem lutando contra as dificuldades financeiras como estão hoje. Ela também acredita firmemente numa fundação sólida para as oportunidades econômicas e sucesso.

Na economia de hoje, precisamos de abrir todas as faixas da educação, para os nossos jovens isso nem sempre significa a faculdade, significa áreas de treino vocacional, aprendizagem, colégios comunitários, programas que possam dar credenciais e certificação para conseguir um emprego bem remunerado, com melhores benefícios e sem a carga do débito. Eu acho que a educação está diretamente ligada à mobilidade económica ”, disse Lori.

A reforma no serviço de saúde é outra questão que a Lori sempre se refere como sendo extremamente pessoal para ela e para a sua família devido à doença do seu pai. Ele que foi um metalúrgico sindicalista cuja carreira foi interrompida porque lhe foi diagnosticado esclerose múltipla.

Ela disse que estava feliz por o “Affordable Care Act” estar em vigor porque se não fosse a Lei Constitucional, as companhias de seguro poderiam discriminar com base em condições pré-existentes, o que teria falido a minha família e muitas das famílias. “Não conhecemos uma família que não tenha um membro da sua família com uma condição preexistente e, por isso, isto foi o mais certo para nós fazermos como país”, disse Lori.

Ela acredita que a saúde é um direito, não um privilégio. A batalha para aprovar o “Affordable Care Act” foi muito disputada. “Estou comprometida em melhorar e fortalecer o ACA antes de mais nada, e impedir os republicanos em Washington a desmantelem … o “Affordable Care Act” dá-nos uma ótima estrutura para trabalharmos, e assim podermos tornar a assistência médica universal e acessível ”, disse Lori.

Ela concorda que ainda há muitos custos no sistema de saúde e nós temos que atacar esses custos, sejam eles benefícios de medicamentos controlados ou responsabilizando as companhias farmacêuticas.

Temos defendido “Afordable Care Act” desde que foi aprovado e por isso estou relutante em começar de novo quando vejo o quanto a jornada tem sido difícil para nós até agora, mas estou totalmente comprometida em tornar a saúde mais acessível porque sei que ainda não é perfeito”, disse Lori.

Quando perguntamos a Lori o que ela pensa sobre essa nova tendência de direitos das mulheres, igualdade e o capacitar das mulheres, ela disse que “estamos vivendo um momento incrível agora. Costumo pensar sobre onde estamos hoje e o que o futuro trará para minhas duas filhas, e nada me dá mais otimismo do que o movimento que estamos vendo agora. “

Lori está muito preocupada com a forma como as mulheres se sentem um pouco agredidas por esta administração porque alguns dos direitos das mulheres estão sob ataque, quando se trata do acesso a contraceptivos ou direitos de reprodução, assim como igualdade salarial por trabalho igual ou licenças remuneradas. “Esses estão todos se sentindo ameaçados neste momento”, disse Lori.

Ela também menciona que a reação a essa ameaça criou algo que ela nunca viu na sua vida, que é um número recorde de mulheres candidatas a cargos, em todos os níveis, local, estadual e parlamentar. “Acho que fazer com que as mulheres participem como eleitoras, ativistas, gerentes de campanha, como pessoas que se estão candidatando, isso vai causar uma mudança real e duradoura neste país”, disse Lori.

Eu estou incrivelmente otimista e, acho que a maneira de obter uma mudança real é ter mais mulheres na mesa, ter mais mulheres no Congresso e estou animada por fazer parte desse movimento,” acrescentou.

Quando questionada sobre qual a mensagem que ela gostaria de passar aos moradores deste distrito, ela respondeu com o que aprendeu quando trabalhou no escritório do Congresso por quase dez anos. Ela conhece o enorme poder do escritório do Congresso e o que eles podem fazer por uma economia regional e o que se pode trabalhar com o governo estadual e local para financiar projetos de infra-estrutura, criar empregos, atrair negócios, e tirar proveito da força de trabalho qualificada.

O papel pessoal de quem está neste escritório é de convocar parcerias públicas e privadas nos governos estaduais e locais para que se possa estimular a economia deste distrito. Há seis cidades de classe trabalhadora neste distrito, Haverhill, Lawrence, Methuen, Fitchburg, Marlborough e, Lowell, pode-se realmente trabalhar na revitalização dessas cidades se estivermos comprometidos em trabalhar com os respectivos governos estaduais e locais, e eu pretendo fazer isso “, disse Lori.

Advertisement

Luso Ads

A corrida para suceder a atual representante do Congresso dos EUA, Niki Tsongas, que se reformará após 11 anos no Congresso, está longe de ficar definida. Esta corrida está agora reduzida a dez candidatos Democratas. Lori disse que este é um distrito diverso com 50% do eleitorado não recenseado.

Lori referiu-se sobre a importância de viver na comunidade que se vai representar “Eu sou deste distrito da grande Lowell. Foi onde eu cresci e criei aqui a minha família. Eu fui para as escolas públicas de Lowell e para o Liceu de Lowell High, depois de me formar treinei a equipa de voleibol de Lowell, e estou na equipa de fama de voleibol do Liceu de Lowell,” disse Lori

A motivação de Lori para se candidatar é porque ela se preocupa profundamente com a sua comunidade, é uma chamada para ajudar as pessoas com as quais ela cresceu e seus filhos estão crescendo. Ela trabalhou no Congresso como chefe de gabinete do ex-representante Marty Meehan, construiu um negócio de sucesso com outras duas mães trabalhadoras, e entende as alavancas da economia pois trabalhou na inovação da economia durante anos.

Eu estou esperançada que com a coleção de experiência que tenho, comparada com todos os outros, eu me tenha apresentado como uma candidata experiente e efetiva, “concluiu Lori.

Lori Loureiro Trahan, Massachusetts Candidate for Congress

“This is deeply personal to me, my father is the son of a Portuguese immigrant from Porto” said Lori Loureiro Trahan a 2018 Democratic candidate seeking election to the U.S. House to represent the 3rd Congressional District of Massachusetts.

Lori Loureiro Trahan has come a long way. With deep roots in the Merrimack Valley and being born and raised in  Lowell, Massachusetts, if elected she will be the first woman of Portuguese descent in the Congress from Massachusetts.

Feel Portugal digital magazine had the opportunity to meet with Lori in Lowell and to ask her some questions about why she was running for Congress and what she hoped to change in Washington.

Advertisement

Luso Ads

Our meeting with Lori was originally scheduled to take place at Nana’s Kitchen on Central Street in Lowell, a tiny restaurant directly across from the Portuguese American Civic League Club (Reds Club). Lori has fond memories of going there with her father when she was growing up. Unfortunately, it was closed on the day we went there and we decided to meet at Coffee & Cotton inside Mill No 5, one of Lowell’s emblematic and former textile mills built in 1873, in the heart of the city.



Lori’s journey started with her ancestors who came to Lowell from Portugal and Brazil. Lori’s father, Tony Loureiro, was a union organizer and ironworker for Local 7. He was the son of Fernando de Freitas Loureiro (from Porto) and Adalice Leite Loureiro (from Bahia). Fernando worked as a union carpenter and served as President of the Portuguese American Civic League and Portuguese American Center. His wife Adalice was born in Brasil, but after the death of her mother went to Graciosa and was raised by her aunt. She worked at the Lowell Mills like many of the immigrants who came to Lowell at the time.

Lori Trahan with her mother and father, Linda and Tony Loureiro, and her sisters.

Lori’s mother, Linda, raised Lori and her three sisters while working various part-time jobs. John de Sousa, Trahan’s maternal great-grandfather was born in the Azores islands. He was greatly involved in Lowell’s Portuguese community and was also one of the founding members of the St. Anthony’s Parish in 1901.

Lori attended Lowell public schools and, she started working as soon as she could. At age 11 her first job was delivering the Lowell Sun in the neighborhood. She was inducted into the Lowell High School Sports Hall of Fame and earned a scholarship to play volleyball at Georgetown University. Later, she worked in the Congress as chief of staff of the former representative Marty Meehan.

Because of her roots, Lori is a strong believer in Immigration policies and, we started our conversation by asking her opinion about the actual situation on immigration.  “It starts with an open conversation
around comprehensive immigration reform,” answered Lori.  She believes that we need to “preserve the freedoms and liberties that we have always stood for.” She referred to the history of our country which has always been a “safe haven for refugees seeking a better life”  and pointed out that she does not support the current divisive campaign promise of a wall. She went on to say “They came for a better life and for opportunities they didn’t have back home. They got the right to work in Lowell or in other cities and became active members of the community.”

Trahan also defends the protection of our dreamer’s needs with plenty of bipartisan support. “I think we’ve gotten into a divisive discourse with this last election and need new leadership so that we can reestablish our hard-fought American values and so I’ve come out pretty overtly that we need protection for our dreamers”. said Lori.

“We are who we are as a country because of the influence of immigrants … I cannot figure out why this administration has decided to vilify and attack today’s immigrant populations,” said Lori. She continued by saying  “it is time for Congress to act on comprehensive immigration reform.” She said that we can not confuse border security and immigration reform. They are two different things.

When we asked about her position in regards to DACA Lori replied: “I believe in a path to citizenship for all people who are here living in our country.” She went on to say that  “the divisive rhetoric of the last election grabbed too many headlines and it’s not exactly where the heart of this country is.” She pointed out that “no one in this country has a stronger claim to this country than anyone else.”    

As a third generation Portuguese immigrant, she sees many people from different cultural backgrounds in her district. There are different communities in her district like Lowell, Lawrence, Haverhill or down in Hudson “there are many people working hard contributing to our economy paying their taxes and we need to do right by them.” said Lori.

Lori sees education playing an important role in our society and believes we have to do a better job in our public schools. She emphasized the importance of “having more teachers working to assimilate and include our diverse populations in school.” She then continued by saying ”We often say in this country that diversity is our strength. Well, diversity is only our strength if we find a way to be inclusive of our diversity.”  

People need to have the “same opportunities as everyone else and that’s how you really get a bump in this economy,” she said. She continued by saying “It’s when we find a way of having a culture of inclusiveness for all the people who are here and we have them helping us spur and drive our economy forward.”

She also defends the need to make college education more affordable. “It is outrageous right now that we are sending children to college and they are getting bogged down and saddled with enormous debt, debt that they can’t come up from underneath because we haven’t done a good enough job spurring our economy to get job creation and wages to grow at a level that we can absorb those types of loans” said Lori.

Lori believes that the incoming inequality gap will close and she intends to go down and fight for education to avoid families struggling the way they are today. She also strongly believes in a strong foundation for economic opportunity and success.

In today’s economy we need to open up all lanes of education, for our young people it doesn’t always mean college, it means vocational training, apprenticeships, community college, programs that can give our credentials and certification to get a good paying job with benefits faster and without the burden of debt. I think education is directly tied to economic mobility.” said Lori.

Healthcare reform is another issue that Lori always refers to as being enormously personal for her and her family due to her father’s illness. He was a union ironworker whose career got cut short because he was diagnosed with multiple sclerosis.

She said that she was happy that the affordable care act was in place because had it not been the law of the land, and insurance companies could discriminate based on pre-existing conditions, that would have bankrupted my family and it would have bankrupted a lot of families. “We don’t know a family that doesn’t have a member of its family with a preexisting condition and so it was the right thing for us to do as a country,” said Lori.

Advertisement

Luso Ads

She believes that healthcare is a right, not a privilege. The battle to pass the Affordable Care Act was hard-fought. “I’m committed to improving and strengthening the ACA first and foremost, and to stopping Republicans in Washington from dismantling it …. the affordable care act gives us a great framework us to work with so that we can make health care universal and affordable,” said Lori.

She agrees that there are still too many costs in the health care system and we have to attack those costs whether it’s prescription drug benefits or holding the pharmaceutical companies accountable.

We have been defending affordable care act since it was passed and so I’m reluctant to start over when I see how hard the journey has been for us so far but I’m completely committed to making health care more affordable because I know it’s not perfect yet,” said Lori.

When we asked Lori what she thinks about this new trend of women rights, equality and women empowering, she said that “We are living an incredible moment right now. I often think about where we are today and what the future will hold for my two daughters, and nothing gives me more optimism than the movement we are seeing right now. ”

Lori feels that women’s rights are being threatened by this administration. Hard-fought women rights are under attack when it comes to access to contraception or reproduction rights, as well as equal pay for equal work or paid leave.

She also mentioned that the reaction to this threat created something she never saw in her lifetime, which is a record number of women running for office at all levels, local, state and national. “I think getting women to participate as voters, as activists, as campaign managers, as people who are running themselves, that is going to cause real and lasting change in this country,” said Lori.

I’m incredibly optimist and, I think that the way to get real lasting change it’s having more women at the table, having more women in Congress and, I’m excited to be part of that movement,” she added.

Lori knows the enormous power in the congressional office and what they can do for a regional economy. It’s working with the state and local government to fund infrastructure projects and create jobs as well as attracting businesses to take advantage of our skilled workforce. “The role of the person’s office is to convene public and private partnership, state and local government so you can spur the economy of this district. There are six working-class cities in this district, Haverhill, Lawrence, Methuen, Fitchburg, Marlborough and, Lowell, You can really work on revitalizing those cities if you are committed to working with the state and local governments there and, I intend to do that,” said Lori.

Advertisement

Luso Ads

The race to succeed Niki Tsongas, who is retiring after 11 years in Congress, is far from being set. This race is now reduced to ten Democrat candidates. Lori said this is a diverse district with 50% of the electorate unenrolled.

Lori emphasized the importance of living in a community that you are going to represent. “I come from a great part of this district. Greater Lowell is where I have grown up and raised my family. I went to Lowell public schools, I went to Lowell High School after I graduated I coached the Lowell Volleyball team, I’m in the High School Hall of fame for volleyball”

Lori pointed out that her motivation to run is because she deeply cares about her community. She went on to say that It’s a calling for her to help people that she grew up with and that her children are growing up with. She has worked in the Congress as chief of staff of the former representative Marty Meehan. She has built a successful business with two other working moms and understands the levers of the economy and has worked on the innovation of the economy for years. last one.

I’m hoping when you take the collection of experience I have, and you put it up against everyone else,  that I have established myself as an experienced and an effective candidate.” concluded Lori.

Advertisement

Luso Ads

Share.

About Author

Skip to toolbar