Live Updates COVID-19 CASES
  • USA 1,926,341
    USA
    Confirmed: 1,926,341
    Active: 1,103,648
    Recovered: 712,437
    Death: 110,256
  • Brazil 618,554
    Brazil
    Confirmed: 618,554
    Active: 309,485
    Recovered: 274,997
    Death: 34,072
  • Canada 93,726
    Canada
    Confirmed: 93,726
    Active: 34,350
    Recovered: 51,739
    Death: 7,637
  • Portugal 33,969
    Portugal
    Confirmed: 33,969
    Active: 11,978
    Recovered: 20,526
    Death: 1,465
  • Cabo Verde 502
    Cabo Verde
    Confirmed: 502
    Active: 258
    Recovered: 239
    Death: 5
  • Mozambique 352
    Mozambique
    Confirmed: 352
    Active: 236
    Recovered: 114
    Death: 2
  • Angola 86
    Angola
    Confirmed: 86
    Active: 64
    Recovered: 18
    Death: 4
  • Timor-Leste 24
    Timor-Leste
    Confirmed: 24
    Active: ?
    Recovered: 24
    Death: ?
Keep us connected

The Association of Azorean Emigrants has just released a children’s book “Azores – Hunting for the American Dream” that tells the story of the first Azoreans who arrived in the United States of America by whaling in the 18th century.

The president of the association, Rui Faria, historical coordinator of the bilingual edition of “Azores, hunting for the American dream,” with 1,500 copies, declared to Lusa agency that the work is dedicated to the younger generations to get to know Azorean emigration, and to all of those who are unaware of this reality.

Luso Ads

In the United States of America, there are an estimated 1.5 million Portuguese emigrants, mainly from the Azores, with the archipelago’s natives concentrated in the states of Massachusetts and Rhoad Island, on the east coast, and California, on the Pacific coast, the immigration was more intensely in the 1960s, being residual in nowadays.

For Rui Faria, it is essential “not to lose the emigration memory to America to the children and grandchildren who are born in the communities and also to the new generations in the Azores.” He remembers that the phenomenon began through the presence of whaling boats, from New England, which touched the archipelago to buy goods but also to hunt the cetaceans existing in Azorean waters.

Written by Patrícia Carreira, the book “Azores – Hunting for the American Dream” has illustrations by Professor Romeu Cruz, and English translation by Cristina Oliveira and will be available on the East Coast of the United States starting in February 2020.

You might like to read

The president of the Azorean Emigrants Association – who wants the “new Azorean generations not to detach themselves from the memory of their parents and grandparents who emigrated from the Azores.” – He said the book’s revenue would revert to publish a new edition in May, about the history of Azorean emigration to Canada, the second destination country for Azoreans, which began in 1953.

The Association of Azorean Emigrants intends to publish every year’s works to promote the heritage of the Azorean emigration, starting with the release of the book “Azores, a hunt for the American dream.”
The Azorean emigration also includes Hawaii, the Bermuda archipelago, and Brazil.

The Association of Azorean Emigrants is an independent organization based in the Azorean Emigration Museum, in Ribeira Grande, São Miguel Island, and its direction formed by elements from several islands of the Azores, representing several origins of the diaspora.

Artigo em Português

Livro narra emigração dos Açores para a América por via da caça à baleia

Ribeira Grande, Açores, 06 jan 2020 (Lusa) – A Associação dos Emigrantes Açorianos acaba de lançar um livro infantojuvenil que narra a história dos primeiros açorianos que chegaram aos Estados Unidos da América, por via da caça à baleia, no século XVIII.

Luso Ads

O presidente da associação, Rui Faria, coordenador histórico do livro “Açores, uma caça ao sonho americano”, numa edição bilingue, com 1.500 exemplares, declarou à agência Lusa que a obra não é dedicada exclusivamente às gerações mais novas com o intuito de conhecerem a emigração açoriana, sendo transversal a todos os que desconhecem esta realidade.

Nos Estados Unidos da América, estima-se que existam 1,5 milhões de emigrantes portugueses de origem açoriana, tendo os naturais do arquipélago ficado concentrados predominantemente em estados como Massachusetts e Rhoad Island, na costa leste, e na Califórnia, na costa do Pacífico, de forma mais intensa na década de 60 do século XX, sendo hoje a emigração residual.

Para Rui Faria, é importante que “não se perca a memória da emigração para a América junto dos filhos e netos que estão a nascer nas comunidades, e também das novas gerações nos Açores”, recordando que o fenómeno começou através da presença dos barcos baleeiros, oriundos da Nova Inglaterra, que tocavam o arquipélago para comprar bens, mas também para caçar os cetáceos existentes nas águas açorianas.

Com textos da escritora Patrícia Carreira, o livro conta com ilustrações do professor Romeu Cruz, tradução para inglês de Cristina Oliveira e vai estar disponível na costa Leste dos Estados Unidos a partir de fevereiro.

O presidente da Associação dos Emigrantes Açorianos – que pretende que as “novas comunidades açorianas não se desliguem da memória dos pais e dos avós que emigraram dos Açores” – refere que as receitas da obra vão reverter para a edição de um novo livro, em maio, sobre a história da emigração açoriana para o Canadá, segundo país de destino dos açorianos, que arrancou em 1953.

Outros artigos:

A Associação dos Emigrantes Açorianos pretende a partir do lançamento do livro “Açores, uma caça ao sonho americano” passar a editar todos os anos obras que promovam o património da emigração açoriana.

A emigração açoriana contempla, ainda nos Estados Unidos, o Havai, e o arquipélago das Bermudas e o Brasil.

A Associação de Emigrantes Açorianos é um organismo independente, com sede nas instalações do Museu da Emigração Açoreana, na Ribeira Grande, ilha de São Miguel ,sendo a sua direção formada por elementos de várias ilhas dos Açores, representando várias origens da diáspora.

JME // LFS

Lusa/Fim

Share.

About Author

Leave a Reply